Últimas Notícias

Revista ESA firma parceria com INCT ETEs Sustentáveis para divulgação de cadernos técnicos sobre esgotamento sanitário

(Da esq. para a dir.) Prof. Carlos Chernicharo, coordenador do INCT ETEs Sustentáveis; Prof. André Bezerra dos Santos, membro da CT da ABES de Tratamento de Esgotos; Allan Rodrigues, editor-coordenador da Revista ESA; e Rodrigo Moruzzi, editor-geral da Revista ESA.

Primeira edição será lançada neste mês de agosto. Coletâneas abordarão diversos conceitos relacionados ao aproveitamento e utilização dos subprodutos gerados a partir do tratamento de esgoto.

Por Murillo Campos

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, por meio da Revista ESA, e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT ETEs Sustentáveis), com apoio da Câmara Temática de Tratamento de Esgotos da ABES, firmaram parceria para divulgação de cadernos especiais sobre temáticas relacionadas ao esgotamento sanitário na Revista ESA (Engenharia Sanitária e Ambiental), uma das mais importantes publicações técnicas e de valorização do setor no Brasil.

Serão oito cadernos voltados aos profissionais do setor de saneamento ambiental, abordando questões como biogás, lodo ativado, gestão sustentável do saneamento, aproveitamento energético e valoração e gerenciamento dos subprodutos gasosos do tratamento de esgoto, entre outros temas.

“A ideia principal é tornar as Câmaras Temáticas da ABES, que em teoria são órgãos consultivos da ABES Nacional, em atores mais participativos dessas parcerias e decisões tomadas envolvendo assuntos técnicos e científicos”, ressalta o professor André Bezerra dos Santos, membro da Câmara Temática da ABES de Tratamento de Esgotos, envolvida no processo de avaliação das notas técnicas.

Os assuntos, inclusive, irão compor os debates do “3° Seminário Nacional de Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto: contribuições do INCT ETEs Sustentáveis para o setor de saneamento”, que acontecerá nos dias 12 e 13 de agosto, de forma online e gratuita.

“Esperamos que os profissionais se apropriem do conhecimento disponibilizado e possam aprimorar projetos, construções e operações dos sistemas, além de testarem novas práticas e possiblidades. Todos os conteúdos das normas técnicas visam melhorar a sustentabilidade do setor de saneamento”, afirma o professor Carlos Chernicharo, coordenador do INCT ETEs Sustentáveis.

A previsão é que os cadernos sejam divulgados semanalmente a partir da 2ª metade de julho. Ao todo, serão abrangidas cerca de 50 notas técnicas, com tópicos relacionados ao aproveitamento e utilização dos subprodutos gerados a partir do tratamento de esgoto, além de maior eficiência e melhoria dos processos.

Chernicharo destaca ainda a parceria firmada com a Revista ESA para ampliar o alcance dos conteúdos e estabelecer uma integração entre academia e mercado. “Esperamos que a publicação via cadernos técnicos, com ilustrações e uma linguagem mais apropriada, obtenha um bom resultado na transmissão de conhecimento da área acadêmica para os profissionais do setor”, comenta o coordenador do INCT ETEs Sustentáveis.

A Revista ESA tem longa história e contribuição no cenário nacional na divulgação de pesquisas e tecnologias, envolvendo soluções para o saneamento ambiental e ganha ainda mais protagonismo com as notas técnicas do INCT. “Os cadernos estão sendo vistos com muito entusiasmo por nós da ESA, principalmente, pela qualidade dos trabalhos apresentados, além de novas possibilidades para a revista”, ressalta Allan Rodrigues, editor-coordenador da Revista ESA.

O editor-geral da ESA, Rodrigo Moruzzi, salienta que esta será uma nova fase do periódico com a publicação de coletâneas especiais, que, segundo ele, darão vazão a temas de interesse nacional, sem prejudicar os esforços de internacionalização da ESA. “Os cadernos técnicos voltam-se estritamente ao público-alvo nacional, buscando contribuir com os desafios da área de engenharia sanitária ambiental. Essa é a ideia central e a importância no contexto brasileiro, no qual a revista ESA tem papel fundamental”, completa Moruzzi. 

Sobre a ABES

Com 55 anos de atuação pelo saneamento e meio ambiente no Brasil, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES reúne em seu corpo associativo cerca de 10.000 profissionais do setor. A ABES tem como missão ser propulsora de atividades técnico-científicas, político-institucionais e de gestão que contribuam para o desenvolvimento do saneamento ambiental, visando à melhoria da saúde, do meio ambiente e da qualidade de vida das pessoas.

A ABES fortalece sua atuação por meio de Câmaras Temáticas (CTs), as quais são compostas por conceituados profissionais brasileiros. As CTs produzem e compartilham conhecimentos técnico-científicos especializados, bem como fomentam discussões nos mais relevantes assuntos inerentes ao setor de saneamento e meio ambiente. O aprofundamento no tema esgotamento sanitário ocorre no âmbito da Câmara Temática de Tratamento de Esgoto (CTTE), que trabalha de forma articulada com a academia, indústria e órgãos de governo.

Sobre o INCT ETES Sustentáveis

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto – INCT ETEs Sustentáveis  foi criado, em 2017, com o intuito de contribuir para a promoção de mudanças estruturais e estruturantes nos serviços de esgotamento sanitário, por meio da capacitação profissional, do desenvolvimento de soluções tecnológicas apropriadas às diversas realidades nacionais, da construção de conhecimento e sua transmissão para a sociedade, órgãos governamentais e empresariais

O INCT ETEs Sustentáveis atua em rede e é formado por 7 (sete) das mais importantes instituições de ensino e pesquisa na área de saneamento no Brasil, a saber: UFMG (líder), UFC, UFMS, UFPE, UFRJ, USP e ISAE.

 

2 Comentários em Revista ESA firma parceria com INCT ETEs Sustentáveis para divulgação de cadernos técnicos sobre esgotamento sanitário

  1. Excelente iniciativa. Gostaria de saber se serão bordados a questão do tratamento de esgoto sanitário das comunidades rurais, nas suas mais variadas concentrações de moradias, produção de animais para abate, entre ele, os que se referem às famílias da agricultura familiar.

Dicas, comentários e sugestões

Seu e-mail não será publicado.